Pesquisa

Fitossanitários biológicos

Fonte: Agro DBO - Edição de fevereiro/2017 10/02/2017

As tecnologias do controle biológico de pragas e doenças evoluiu, e seu uso vai crescer muito na agricultura de grãos

 

Os produtos fitossanitários são muito importantes para reduzir os danos causados pelas pragas agrícolas (organismos nocivos às plantas cultivadas). Contribuem para que as plantas expressem seu potencial de produtividade. Atualmente, apesar do manejo que se utiliza, as pragas (plantas daninhas, fungos, bactérias, vírus, nematoides, insetos, ácaros etc.) causam danos estimados de 42% na produção vegetal em todo o mundo.

Em regiões tropicais, como o Brasil, o dano pode ser ainda maior. Além dos mais conhecidos produtos químicos sintéticos, estão disponíveis aos produtores rurais os produtos biológicos. Estes têm como “ingredientes ativos” organismos vivos que atuam sobre as pragas agrícolas através de mecanismos como predação, parasitismo, antibiose, competição, indução da resistência e proteção cruzada/premunização, além de poderem ser estimulantes de crescimento das plantas.

inseticidas microbiológicos

Nos últimos anos, houve grandes avanços na qualidade e eficiência dos produtos biológicos. Aspectos fundamentais,
como garantia da espécie/linhagem do agente e sua viabilidade (“tempo de prateleira”), foram aprimorados através de rigorosos serviços de seleção, controles internos, formulações adequadas e sistemas de distribuição e aplicação apropriados. Os produtos têm que ser registrados após rigorosa avaliação realizada pelo Mapa, Anvisa/MS e Ibama/MMA.

Os produtos biológicos à disposição do agricultor são, majoritariamente, inseticidas, tanto microbiológicos (fungos, bactérias, vírus e nematoides) como macrobiológicos (parasitoides e predadores). Também existem fungicidas (fungos e bactérias) e nematicidas (fungos) microbiológicos. Ainda não estão disponíveis herbicidas biológicos. A tabela mostra os produtos biológicos registrados no Brasil em 2016 (Mapa/Agrofit). São 92 inseticidas (56 microbiológicos e 36 macrobiológicos), 9 fungicidas e 1 nematicida já registrados. Não estão incluídos produtos semioquímicos (feromônios e aleloquímicos) e bioquímicos (à base de extratos vegetais).

Os produtos biológicos podem ser utilizados na agricultura orgânica embora seu mercado seja, principalmente, na agricultura convencional, participando do MIP (Manejo Integrado a Pragas). Em 2016 foram registrados 277 novos produtos fitossanitários no Brasil, alcançando um recorde. Destes, 38 foram biológicos, representando aumento de 65% em relação a 2015. Estes resultados atendem um dos principais pleitos do agro brasileiro, que é a agilização do registro de tecnologias mais inovadoras e sustentáveis. São 63 empresas registrantes de produtos biológicos atuando no Brasil.

No mundo, o mercado de produtos biológicos movimenta cerca de US$ 2,3 bilhões por ano. No Brasil, representa cerca de 1,5% de mercado de produtos fitossanitários. Entretanto, apresenta tendência de rápido crescimento. Enquanto o mercado de produtos químicos deve crescer 3% ao ano, o de produtos biológicos deve crescer de 15% a 20% ao ano.

A criação da ABC Bio (Associação Brasileira das Empresas de Controle Biológico) em 2007, no Brasil, vem contribuindo para conferir maior confiabilidade aos produtos biológicos. A previsão é de que, em 2020, os produtos fitossanitários biológicos representem 10% dos registrados e 15% do mercado no Brasil.

 

Por | José Otávio Machado Menten, engenheiro agrônomo, doutor em fitopatologia, professor da Esalq e membro do Conselho Editorial da Agro DBO